MEGA 94


46821210-1ad4-4c69-9ab7-ad5a817851f9_coffee-2714970_1280

 

Final de ano. Como se a vida já não fosse suficientemente corrida, somam-se a tudo o que já temos rotineiramente que cumprir: os jantares de confraternização do trabalho e com os amigos; as festas das escolas das crianças; as finais dos campeonatos esportivos; as apresentações da música, da natação, das danças ou das aulas de artes, por exemplo, coroando todo o esforço dos nossos pequenos que, ao longo do ano, acordaram cedo e se esforçaram ao máximo para conseguir nos mostrar o melhor.
Não é fácil e, para piorar, o trânsito fica muito mais intenso. A sensação de terminar o dia devendo obrigações é inevitável. Acordamos mais cedo para dar tempo de fazer tudo e um pouco mais.
Resultado: ao longo do dia, o sono e o cansaço chegam. Para dar aquela “acordada” tomamos um cafezinho gostoso. Depois outro. E mais outro. E assim, aumentamos sem sentir a quantidade de café que tomamos todos os dias.

Quais seriam os efeitos do excesso de cafeína no organismo?

A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central. O cérebro fica mais “ligado” e o organismo ajusta o metabolismo para acompanhar. Como consequência, o coração e a respiração aceleram os próprios ritmos, a pressão arterial aumenta e o sono vai embora. Até aí, tudo bem.
No entanto, tudo isso começa a ser um problema quando exageramos na “dose”. O excesso de cafeína pode ter efeitos colaterais muito desconfortáveis tais como: nervosismo, tremores, dor de cabeça, insônia, agitação mental, taquicardia, suor frio e uma sensação de angústia quando tudo isso acontece.
Portanto, o excesso de cafeína pode, sim, deixar-nos mais ansiosos e com sintomas desconfortáveis que, muitas vezes, são mais atribuídos à correria do final do ano do que à cafeína que, na verdade, é a protagonista da situação.

Qual seria, então, a “dose” diária máxima de cafeína?
Estudos apontam que não se deve ultrapassar 400mg de cafeína por dia. Isso equivale, aproximadamente, a 4 xícaras de 200 ml de café; ou a 10 latas de refrigerantes que contenham cafeína; ou 4 latas de bebidas “energéticas”.

Parece muito, não é mesmo? Vale também lembrar que chocolates, alguns tipos de chás (mate, verde e preto) e alguns medicamentos também contém cafeína.
Deguste seu cafezinho com tranquilidade e sem exageros!

Crédito da foto: Pixabay/Creative Comons CC0



Fonte: Postado em: 04-12-2017


46821210-1ad4-4c69-9ab7-ad5a817851f9_coffee-2714970_1280

 

Final de ano. Como se a vida já não fosse suficientemente corrida, somam-se a tudo o que já temos rotineiramente que cumprir: os jantares de confraternização do trabalho e com os amigos; as festas das escolas das crianças; as finais dos campeonatos esportivos; as apresentações da música, da natação, das danças ou das aulas de artes, por exemplo, coroando todo o esforço dos nossos pequenos que, ao longo do ano, acordaram cedo e se esforçaram ao máximo para conseguir nos mostrar o melhor.
Não é fácil e, para piorar, o trânsito fica muito mais intenso. A sensação de terminar o dia devendo obrigações é inevitável. Acordamos mais cedo para dar tempo de fazer tudo e um pouco mais.
Resultado: ao longo do dia, o sono e o cansaço chegam. Para dar aquela “acordada” tomamos um cafezinho gostoso. Depois outro. E mais outro. E assim, aumentamos sem sentir a quantidade de café que tomamos todos os dias.

Quais seriam os efeitos do excesso de cafeína no organismo?

A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central. O cérebro fica mais “ligado” e o organismo ajusta o metabolismo para acompanhar. Como consequência, o coração e a respiração aceleram os próprios ritmos, a pressão arterial aumenta e o sono vai embora. Até aí, tudo bem.
No entanto, tudo isso começa a ser um problema quando exageramos na “dose”. O excesso de cafeína pode ter efeitos colaterais muito desconfortáveis tais como: nervosismo, tremores, dor de cabeça, insônia, agitação mental, taquicardia, suor frio e uma sensação de angústia quando tudo isso acontece.
Portanto, o excesso de cafeína pode, sim, deixar-nos mais ansiosos e com sintomas desconfortáveis que, muitas vezes, são mais atribuídos à correria do final do ano do que à cafeína que, na verdade, é a protagonista da situação.

Qual seria, então, a “dose” diária máxima de cafeína?
Estudos apontam que não se deve ultrapassar 400mg de cafeína por dia. Isso equivale, aproximadamente, a 4 xícaras de 200 ml de café; ou a 10 latas de refrigerantes que contenham cafeína; ou 4 latas de bebidas “energéticas”.

Parece muito, não é mesmo? Vale também lembrar que chocolates, alguns tipos de chás (mate, verde e preto) e alguns medicamentos também contém cafeína.
Deguste seu cafezinho com tranquilidade e sem exageros!

Crédito da foto: Pixabay/Creative Comons CC0



Fonte: Postado em: 04-12-2017
MEGA POINT
Av. Afonso Pena 5154
Campo Grande MS
Whatsapp - 99143-9494

3042-9494
Mega94 (c)- Todos os direitos reservados.